Desigualdade de Gênero e suas diversas facetas .

Publicado: maio 16, 2012 em Raça

Olá Parceiro … Tudo bem?

Em nosso segundo encontro trataremos de um tema que infelizmente, ainda faz parte de nossa realidade social, a Desigualdade de Gênero, ou seja , entre homens e mulheres . Mesmo no século XXI com o “homem” tendo ido ao espaço, até mesmo fazendo projetos de povoar a lua, a ciência declarando a cura de grande parte das doenças que dizimavam a humanidade até bem pouco tempo atrás e demais inovações cientificas que nos coloca em uma condição singular de progresso , a necessidade de formular uma lei que proíbe o esposo/marido de bater em sua companheira, a lei Maria da Penha , assusta e nos faz refletir sobre o modelo de sociedade que construímos até aqui.
Mas a violência física não é a única face do preconceito que abominavelmente existe contra as mulheres, em especial no Brasil. As brasileiras enfrentam ainda grandes restrições no mercado de trabalho, por parte de uma estrutura organizacional com um número significativo de empresas que se recusam a promover mulheres para cargos de chefia, pois pelo simples fato de serem mulheres têm sua competência questionada, por um possível chefe machista. Fato que pode ser comprovado ao analisarmos estatísticas como as apresentadas nas tabelas abaixo, que mostram que as mulheres, mesmo tendo mais anos de estudos do que os homens recebem salários menores que estes.

tabela genero 1 tabela genero 2
Também na política podemos observar um quadro de sub-representação das mulheres em cargos eletivos nas esferas Municipais, Estaduais e federais tanto no poder executivo quanto no legislativo e judiciário. Como consequência deste quadro temos uma menor atenção por parte de nossos representantes frente à problemas que atingem exclusivamente a vida das mulheres como violência doméstica , discriminação no mercado de trabalho, saúde da mulher , vida reprodutiva e a própria inclusão das mulheres em cargos públicos, ou seja, um ciclo que exclui a mulher em diversos campos de sua vida. Você deve estar se perguntando, principalmente os homens com alguma inclinação ao machismo, mas não temos uma prefeita e uma presidenta?
Bom, sim é isso é ótimo, mas o fato de um individuo, historicamente excluído, chegar a uma posição de poder não põem fim ao problema. Quem teorizou sobre este assunto e tinha uma boa visão sobre o tema foi o Sociólogo Francês Pierre de Bourdiue que classificou tal situação como “a exceção que legitima a regra”, ou seja, o fato de uma pessoa de uma determinada minoria social chegar ao poder, não significa a inclusão de todos , e tal situação de exceção pode até motivar o preconceito, pois o indivíduo nesta situação, geralmente, enfrenta cobranças muito mais duras do que um individuo que historicamente esteve sempre naquela posição. Neste caso se a governanta faz algo que não agrada a maioria ou cometa um erro grave, sua incompetência, por muitos com mentalidade machista inclusive outras mulheres, é associada a sua condição de mulher, já quando um homem comete os mesmos equívocos não é feita essa mesma associação.

tabela genero 4

Assista o Vídeo: Acorda Raimundo .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s